Mais um Rock in Rio para história

/, RECOMENDAÇÕES/Mais um Rock in Rio para história

Mais um Rock in Rio para história

O festival, que se tornou um dos eventos de música mais icônicos de todo o mundo, chega a sua 19ª edição. Desde abril, todos os ingressos já haviam esgotados

Por Bruna Cavalcanti

O Rock in Rio (RiR) alcançou, definitivamente, a maturidade. São 34 anos de história musical. E um total de mais de 9,5 milhões de pessoas que, ao longo de todos esses anos, passaram pelo festival e o transformaram em um dos mais icônicos de todo o mundo. Esse ano, o evento, que colocou o Brasil na rota do show business internacional, chega a sua 19ª edição e receberá, em setembro, na cidade do Rio de Janeiro, um público estimado em mais de 700 mil pessoas. 

O próprio CEO do Rock in Rio, Luis Justo, também é parte dessa história e do público que consagrou o festival. Quando tinha apenas seis anos, esteve com os seus pais na primeira edição do evento, que foi realizada em 1985. Músico, realizou há oito anos – quando se tornou CEO do RiR – o sonho de subir ao palco do festival que ele mesmo viu nascer. 

“É uma responsabilidade incrível e um orgulho enorme fazer parte de um festival que tem relação direta com a história e com a cultura do nosso país. O nosso maior compromisso é fazer com que cada edição seja melhor e maior que a anterior, além de inesquecível para o público e para a cidade do Rio de Janeiro, que também abraça e é parte desse festival”, explica Justo. 

Para os que têm dúvida sobre o sucesso do Rock in Rio, depois de tantos anos, basta procurar por ingressos na página oficial do evento. Todos já estão esgotados desde abril, cinco meses antes do início dos concertos. Além disso, a edição de 2019 confirma, mais uma vez, o line-up de potência que sempre representou uma das marcas mais importantes do festival. 

Na edição do Rock in Rio 2019, são esperadas, durante os sete dias do festival, atrações internacionais como Foo Figters, Weezer, Iron Maiden, Scorpions, Muse, Imagine Dragons, P!nk, Bon Jovi, Red Hot Chili Peppers, além de Drake e Cardi B, que farão show no Brasil pela primeira vez. Entre os shows nacionais, estão confirmadas as apresentações de Anitta, Os Paralamas do Sucesso, Capital Inicial, Sepultura, entre outros. 

“Vamos surpreender mais uma vez. São 34 anos de história e quem nos ajuda a construir diariamente esta marca, no Brasil e no mundo, é o nosso público, que vibra com cada novidade, espaço e artista. Queremos que a festa seja impactante e em grande estilo, por isso a cada edição trazemos novos conteúdos. Podem se preparar, pois se já éramos grandes, estaremos maiores ainda”, garante Roberto Medina, idealizador do Rock in Rio.

Na última edição, realizada em 2017, os números relacionados às redes sociais foram impactantes e mais uma prova de sucesso do evento: 143 milhões de pessoas foram alcançadas, por conversas espontâneas sobre o Rock in Rio, além de 41,9 milhões de visualizações de vídeos, nas redes do festival, durante os dias de evento.

Woodstock brasileiro

Ninguém duvida da grandiosidade do Rock in Rio que, ao lado de outros festivais como o Coachella, o Glastonbury e o Tomorrowland, é um dos espetáculos musicais mais importantes do mundo. Para ter certeza absoluta desse fato e dessa marca, basta olhar para os dados do primeiro RiR realizado em 1985. Apenas naquela edição, mais de 1,38 milhões de pessoas presenciaram o evento, um número três vezes maior que o legendário festival de Woodstock, ocorrido em 1969, nos Estados Unidos. Somente no show do Queen, que aconteceu no dia 11 de janeiro daquele mesmo ano, foram mais de 300 mil pessoas, o maior público já registrado em um único concerto. 

Outro dado importante é que, assim como o Lollapaloza, que é originário de Chicago, Estados Unidos, o Rock in Rio também já teve diversas edições espalhadas por todo o mundo. A primeira, realizada em 2004, ocorreu em Lisboa, Portugal, e teve apresentações de artistas como Alicia Keys, Metallica e Black Eyed Peas. Desde então, o RiR foi apresentado em países como Espanha e Estados Unidos. 

Muito além da música

Fora a importância da marca no universo musical, o Rock in Rio é um festival que vai muito além da música e que é marcado, também, por desenvolvimento e ações humanas. O evento recebeu, em 2013, a primeira certificação na América Latina na norma internacional ISO 20121 – Sistemas de Gestão de Sustentabilidade de Eventos, no âmbito da gestão sustentável, como o maior evento de música e entretenimento do mundo. 

A certificação ISO 20121 confere ao festival um reconhecimento por ações desenvolvidas em relação ao impacto ambiental e a preocupação com o compromisso de práticas para a compensação de impactos negativos sustentáveis e econômicos. Ao longo de todos estes anos, já foram investidos mais de R$ 100 milhões em causas socioambientais. Além disso, a organização premia, desde 2008, as empresas que melhor incorporam projetos e ações sustentáveis dentro do evento. 

Em 2016, durante a edição do Rock in Rio de Lisboa, foram selecionados alguns projetos que melhor incorporaram o plano de sustentabilidade promovido pelo festival. Um deles chegou, inclusive, a ser auditado pela PriceWaterCoopers. Nesse mesmo ano, foi anunciado o Rock in Rio Amazonia Live, que estará presente nas edições do festival e em todos os países onde o evento é realizado. Por meio desse projeto, já́ foram doadas mais de 73 milhões de árvores. 

Por dentro do RiR 2019

Para a edição deste ano, a área do Parque Olímpico do Rio de Janeiro (RJ), local do evento, terá 385 mil m²; ou seja, 60 mil m² a mais do que a edição de 2017. A estrutura é tão grandiosa que serão quase mil banheiros. Além disso, haverá um espaço de meio quilômetro, equivalente ao comprimento de quase cinco campos de futebol, para comprar comida, bebida e outros produtos especiais que serão vendidos durante o evento.

O Rock in Rio 2019 terá, no total, seis palcos: Mundo, Sunset, New Dance Order, Rock Street Asia, Rock District e Espaço Favela, que contará com a participação de 22 atrações de diversas comunidades cariocas. “Temos um olhar de expansão para o conteúdo que vai muito além do entretenimento, pois buscamos dar uma possibilidade e ter um olhar para os talentos que estão nas comunidades”, afirma Justo. 

O Espaço Favela marca, sobretudo, a preocupação da organização com a diversidade cultural. Nesse ambiente, além dos eventos musicais, haverão apresentações de dança, teatro e a presença de três bares que serão representados por jovens empreendedores selecionados por meio de uma parceria com o Sebrae. Uma novidade que prova, uma vez mais, que o festival se reinventa e se consagra a cada ano que passa. Sem importar a idade que tenha. 

  • Os números do festival

  • 34 anos de Rock in Rio

  • 19 edições desde 1985

  • 2038 artistas escalados

  • 9,5 milhões de pessoas na plateia

  • 212,5 mil empregos gerados

  • 73 milhões de árvores doadas à Amazônia

  • 143 milhões de pessoas alcançadas nas redes sociais em 2017

2019-09-27T13:41:39+00:00

About the Author:

Leave A Comment