Hospedagem à brasileira

/, Prime Zone/Hospedagem à brasileira

Hospedagem à brasileira

Patrick Mendes, CEO do grupo AccorHotels na América do Sul, comanda uma operação que concentra no Brasil 308 hotéis.

Por Bruna Cavalcanti

Uma hospedagem à brasileira e, literalmente, para todos os gostos. Esse é um dos maiores conceitos da rede hoteleira AccorHotels, que oferece aos seus clientes desde marcas luxo e premium até outras mais populares. O que faz com que a companhia seja reconhecida pelo amplo portfolio. Apenas no Brasil, a empresa possui 308 hotéis que estão sob a direção atenta do CEO do grupo na América do Sul, Patrick Mendes.

Comandando o grupo na América do Sul há 4 anos, Mendes destaca alguns problemas enfrentados pela companhia na região. Para o CEO, a instabilidade política e econômica, além da atual situação de recessão vivida pela Argentina, somada a competitividade do próprio mercado tem imposto desafios importantes à empresa. No entanto, nenhum deles tem estagnado as exitosas operações ou, ainda, os planos de expansão da rede para os próximos anos.

“Toda instabilidade na região fez com que mudássemos algumas atividades em virtude da economia. Porém, os últimos 18 meses foram geniais e houve uma melhora nas economias latino-americanas. Especificamente no Brasil, após as eleições, há um maior sentimento de confiança em relação a volta do crescimento no país. A situação ainda não é excelente, mas seguimos avançando como companhia”, destaca Mendes.

A crise mencionada por Mendes não só fez com que o grupo Accor avançasse ainda mais como também com que o mesmo visse oportunidades em meio a estagnação econômica vivenciada pelo continente. Du- rante 2018, um dos piores anos para o mercado, a Accor abriu 52 hotéis na região, o segundo maior crescimento global depois da Ásia, o que demonstra o potencial de desenvolvimento da América do Sul. Além disso, foram assinados 45 novos contratos, sendo 23 somente no Brasil.

“Temos liderança efetiva no Brasil e queremos expandir fortemente nossa presença em outros países. Vemos um enorme potencial para marcas de médio e luxo, que já representam 44% dos novos contratos em toda a América do Sul. Nossa reputação é consolidada e 55% dos nossos parceiros de negócios são novos”, afirma Mendes.

O otimismo do CEO está bem fundamentado. Além da expansão por meio de novos contratos, a Accor acelerou o crescimento, nos últimos meses, com a aquisição de novas marcas no mercado. Foram adquiridos nesse processo 3 grandes grupos. O primeiro foi o Posadas. O segundo foi o VGH, que opera hotéis na América Latina. Já o terceiro foi o Grupo Atton.

“Vimos a crise no mercado como uma oportunidade e aproveitamos para comprar imóveis administrados por empresas com dificuldades por um preço muito mais barato. Por meio dessas aquisições, impulsionamos a empresa com a abertura de diversos hotéis. Agora, temos uma companhia muito mais equilibrada. A demanda na região cresceu 5,7%, enquanto a oferta de quartos apenas 2%, o que demonstra o potencial que temos que alcançar”, pontua Mendes.

Mendes estudou na tradicional École d’Hôtellerie et de Management em Bordeaux, na França, e tem um MBA em Gestão e Marketing pela IAE Aix en Provence. O CEO da Accor para América do sul começou a trabalhar para a empresa, em 1994, apoiando o desenvolvimento de negócios da companhia. Em 2000, o executivo se mudou de Paris para Lisboa para dirigir a Accor Service na Espanha e Portugal.

O grande divisor de águas na carreira de Mendes ocorreu em 2004, quando se juntou ao Accor Group para liderar uma equi- pe internacional como Vice-Presidente Sênior Global de Vendas e Distribuição. Em 2011, ele assumiu operações na América Latina, um dos principais mercados da companhia, em 80 hotéis. Já em 2013 foi nomeado para as marcas COO Luxury e Midscale na América do Sul. Desde julho de 2015, se tornou CEO da América do Sul e entrou para o Comitê Executivo do Grupo em janeiro de 2017.

TURISMO NO BRASIL

O investimento do Grupo Accor no Brasil é pautado, especialmente, pela alta do mercado de viagens e pelo enorme potencial do turismo no país. Um estudo do Conselho Mundial de Viagens e Turismo (WTTC, na sigla em inglês) evidencia a importância e os benefícios desse setor para a geração de empregos e para a economia brasileira. O objetivo do estudo do WTTC é elaborar avaliações sobre o desempenho do segmento por meio de relatórios que buscam aumentar a conscientização quanto à importância econômica e social do turismo, contribuindo para a tomada de decisões dos gestores públicos e privados do ramo. A entidade é a principal consultoria independente de turismo no mundo, analisa 185 países de 25 regiões geográficas ou econômicas e reúne mais de 170 CEOs e presidentes das principais empresas de viagens e turismo do planeta.

De acordo com dados do WTTC e da consultoria britânica Oxford Economics, a contribuição do mercado de viagens ao Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro cresceu 3,1% em 2018, totalizando US$ 152,5 bilhões. Ou seja: o setor já é responsável por movimentar um 8,1% da economia brasileira. Na medição anterior, de 2017, o turismo respondia por 7,9% das riquezas nacionais, apesar da injeção superior de divisas (US$ 163 bilhões).

Em relação ao volume de empregos, o mercado ocupou 6,9 milhões de pessoas, o equivalente a 7,5% do número global de vagas no país. No total, o impacto do turismo gerou uma participação de US$ 8,8 trilhões ao PIB mundial (10,4%), uma alta de 3,9%, superior à expansão da economia global (3,2%).

Em 2018, o setor foi responsável pela abertura de 1 em cada 10 postos de trabalho, gerando o equivalente a 319 milhões de empregos. O crescimento do mercado de viagens ficou à frente de ramos como o de cuidados com a saúde (3,1%) e tecnologias da informação (1,7%), perdendo apenas para o de manufaturas (4%).

Em números globais, o setor de Viagens e Turismo cresceu, em 2018, 3,9% e contribuiu com uma cifra recorde de US$ 8,8 bilhões, além de gerar 319 milhões de postos de emprego em todo mundo. Pelo oitavo ano consecutivo, este resultado foi superior à taxa de crescimento do PIB mundial, de 3,2%.

CRESCIMENTO ACCOR

Os números do setor de turismo são uma prova do potencial da Accor no mercado. Nesse sentido, o conhecimento eficaz de Mendes adicionado a uma gestão bastante ambiciosa na região tem como principal objetivo manter a consolidação da companhia no território. Dessa forma, a frente da Accor, o executivo busca preservar a qualidade padrão e trabalhar lado a lado junto aos seus clientes, além de buscar desenvolver novas aquisições estratégicas para a marca em toda a América Latina.

“Queremos novas marcas para a região e continuar crescendo em toda a América Latina. Para isso, estamos conscientes das evoluções referentes ao setor e nos esforçamos muito para melhorá-las. Creio que esse é um grande desafio para nós. No entanto, temos investidores que confiam nos nossos hotéis e na qualidade da nossa marca”, confessa Mendes.

De acordo com o CEO, um dos grandes diferenciais da Accor, em relação aos seu concorrentes, é a qualidade dos serviços oferecidos pela companhia junto aos clientes da marca. Outro ponto importante tem referência na ampla oferta de hotéis disponibilizada pelo grupo, além dos programas e serviços integrais lançados junto aos seus associados.

“Nossos consumidores esperam “alta qualidade” e estamos crescendo para alcançar esse objetivo. Lançamos programas para entender e cuidar de nossos associados, integrando marcas e serviços, mesclando tudo para que a Accor se torne a melhor opção”, afirma Mendes.

Globalmente, o mercado liderado por Men- des na América do Sul representa cerca de 8% do plano de rede e desenvolvimento da Accor na região. Por isso, a ideia do CEO é expandir esse percentual nos próximos 3 anos. Ou seja: até 2022, serão 500 hotéis abertos e outros 150 no plano de desenvolvimento. Atualmente, a empresa opera 375 hotéis na região, sendo 308 no Brasil e 119 hotéis em desenvolvimento.

“Temos liderança efetiva no Brasil e queremos expandir fortemente nossa presença em outros países. Nesse sentido, outro grande diferencial da companhia está relacionado ao serviço”, ressalta Mendes.

VALORES E PARCERIAS

O sucesso da accor foi construído em pilares fortes marcados pelos valores da companhia e pelo primor referente à hospitalidade oferecido pelo grupo. As parcerias realizadas pelo grupo tem como prioridade oferecer um serviço marcado pela qualidade ao cliente. Por isso, de acordo com Mendes, a companhia tem investido em marcas que primam pela inovação e pela variedade das ofertas disponibilizadas ao hóspede da rede.

“Estamos explorando nossa oferta internacional e tentando oferecer algo moderno e altamente digital aos nossos clientes. Formamos parcerias com empresas como a LG, por exemplo, e estudamos possibilidades de novas tecnologias para atrair parceiros, além de talentos internacionais e regionais”, finaliza Mendes.

2019-11-05T15:06:57+00:00

About the Author: