//A crise que chega depois da bonança

A crise que chega depois da bonança

Os altos preços do milho esmagam os produtores de carne do Brasil em meio a grande demanda chinesa pelo produto.

Por Oso Oseguera

Os processadores brasileiros de carne de porco e aves, que foram beneficiados pelas grandes exportações para a China em meio ao surto de peste suína africana, começam a sentir a pressão no país quando os preços do milho disparam, já que ele é o principal ingrediente da alimentação animal.

Nas últimas semanas, apesar das projeções de uma colheita recorde de mais de 100 milhões de toneladas, os preços do milho no Brasil subiram consideravelmente. A disputa seguiu os passos dos preços futuros de Chicago que foram impulsionados pelas fortes chuvas que afetaram a colheita americana.  

Os futuros do milho na Bolsa de Valores de São Paulo aumentaram 25% desde os meados de maio, enquanto que os preços no mercado físico do Brasil cresceram ao redor de 15%, é o que aponta o índice Esalq/Cepea.

O aumento do preço tem provocado comparações com o fornecimento do grão em 2016, quando uma seca no país prejudicou a colheita local, o que elevou os custos para os gigantes da indústria produtora e processadora de carne, como a BRF SA y JBS SA.

A BRF culpou os crescentes preços do milho esse ano por uma perda de R$372 milhões, mas a companhia disse que observava cuidadosamente. “Ja temos acordos de compra de milho para os próximos 12 meses”, afirmou a BRF, maior exportador mundial de carne de aves, a Reuters.

Um custo maior do milho limitaria as margens de lucro das companhias em um momento em que as exportações de carne de porco, por exemplo, aumentaram 40% devido a grande demanda da China.

Antônio Barreto, analista da indústria de alimentos do Itaú BBA, opinou que em base na troca de informações que teve com as companhias, parece que essas não estão em uma posição privilegiada.      

“Algumas pessoas foram surpreendidas pelo aumento nos preços de milho”, garantiu Thiago Bernardino de Carvalho, analista da indústria de carne no Centro de Estudos Esalq / Cepea, da Universidade de São Paulo.

Carvalho disse que os processadores de carne tem um conhecimento adequado dos mecanismos de proteção do mercado, mas dado que a maioria das projeções indicavam uma grande colheita de milho no Brasil este ano, é possível que alguns não tenham todos os contratos de fornecimento que necessitam.

Mesmo com a grande colheita nacional de milho, o aumento dos preços em Chicago fez com que o milho brasileiro fosse muito competitivo no mercado global, impulsionando as exportações que reduziram os estoques locais.

Segundo a Associação dos Exportadores de Cereais, a Anec, a previsão é de que as exportações de milho sejam recorde em 2019, possivelmente acima dos 32 milhões de toneladas

By |2019-06-21T14:09:50+00:00June 20th, 2019|RECOMENDAÇÕES|0 Comments

Leave A Comment

Select your currency
USD United States (US) dollar